Em nono corte seguido, BC reduz juro para 7,5% ao ano, perto do piso histórico

Selic recua ao menor patamar desde abril de 2013, ou seja, em pouco mais de quatro anos. Mercado estima que taxa terá nova queda em dezembro, para 7% ao ano.


Esse foi o nono corte consecutivo na Selic, o que levou a taxa ao menor patamar desde abril de 2013, ou seja, em pouco mais de quatro anos. A queda de 0,75 ponto percentual já era amplamente esperada pelos economistas do mercado financeiro.

A decisão desta quarta marca a redução no ritmo de corte dos juros, que havia sido de 1 ponto percentual nos últimos quatro encontros do Copom. O próprio BC já havia indicado que essa desaceleração aconteceria.

  

Copom reduz a taxa Selic para 7,5% ao ano, corte de 0,75 ponto percentual (Foto: Arte/G1)

No patamar de 7,5% ao ano, a taxa básica também está muito próxima da mínima histórica, de 7,25% ao ano, que vigorou entre outubro de 2012 e abril de 2013. A série histórica do Banco Central para a taxa Selic começa em 1986.

A estimativa dos analistas das instituições financeiras é de que o juro continue a recuar nos próximos meses, chegando a 7% ao final deste ano, estabelecendo uma nova mínima histórica, e permanecendo neste patamar até o final de 2018.

Como as decisões são tomadas

A definição da taxa de juros pelo BC tem como foco o cumprimento da meta de inflação, fixada todos os anos pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

Para 2017 e para 2018, a meta central de inflação é de 4,5%, com intervalo de tolerância de dois pontos percentuais, de modo que o IPCA pode variar entre 3% e 6% nestes anos sem que a meta seja formalmente descumprida.

Fonte: G1