Expectativa de inflação do consumidor atinge menor nível desde julho de 2012

A contínua queda nos preços dos alimentos impactou de forma mais significativa a percepção de inflação pelos consumidores de menor poder aquisitivo, segundo a FGV.

A expectativa de inflação para os 12 meses seguintes recuou 0,6 ponto em agosto, para 6,3%, o menor nível desde julho de 2012 (6,2%). Na comparação com o mesmo período no ano anterior, houve recuo de 3,5 pontos percentuais da inflação prevista pelos brasileiros. Os dados foram divulgados pela Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta quinta-feira (24).

A proporção de consumidores prevendo inflação abaixo da meta do Banco Central (4,5%) passou de 30,1% do total, em julho, para 31,5%, em agosto.

A inflação prevista ficou estável em três das quatro faixas de renda. A queda do indicador nacional em agosto deveu-se somente à redução de 2,1 pontos na inflação prevista pela faixa de renda familiar até R$ 2.100 mensais. A inflação mais alta foi de 7,7% prevista pelos consumidores com renda familiar entre R$ 2.100,01 e R$ 4.800; a mais baixa, de 5%, é prevista pelos consumidores de renda mais alta (acima de R$ 9.600 mensais).

“A contínua queda nos preços dos alimentos parece finalmente ter impactado de forma mais significativa a percepção de inflação pelos consumidores de menor poder aquisitivo. E a queda de 2,1 pontos da mediana das previsões de inflação realizadas por este grupo ocorre mesmo com o aumento recente nos preços de combustíveis e de energia”, afirma a economista Viviane Seda Bittencourt, da FGV/IBRE.

Fonte: G1