PIB, segundo a Serasa, aponta que economia cresceu 0,3% no segundo trimestre

Setor agropecuário teve alta de 0,8% em relação ao primeiro trimestre de 2017. Consumos das famílias e do governo tiveram queda.


Por G1

Agropecuária teve alta de 0,8% em relação ao primeiro trimestre de 2017. O acumulado no semestre é de 14,2%. (Foto: Demis Roussos)

A economia brasileira cresceu 0,3% no segundo trimestre de 2017, de acordo com o indicador conhecido como PIB da Serasa Experian, divulgado nesta quarta-feira (16). Na comparação com o primeiro trimestre deste ano, houve desaceleração, já que o crescimento da atividade econômica nos primeiros três meses de 2017 foi de 1,0%.

De acordo com os economistas da Serasa, o resultado mostra que a economia brasileira continuou em trajetória de expansão durante o segundo trimestre do ano, embora com um ritmo mais fraco. A diminuição do impacto positivo da safra agrícola, bem como as turbulências políticas, enfraqueceram o ímpeto da economia durante o segundo trimestre.

Pelo lado da oferta agregada, houve alta de 0,8% da atividade do setor agropecuário no segundo trimestre de 2017. Também foram registrados avanços de 0,9% na atividade industrial e de 0,5% na atividade do setor de serviços.

Pelo lado da demanda agregada, a alta da atividade econômica foi por conta do setor externo: exportações (0,9%) e importações (-4,1%). Todos os demais componentes contribuíram negativamente para a economia: consumo das famílias (-0,3%); consumo do governo (-1,4%) e investimentos (-1,3%).

PIB da Serasa
Veja índices de oferta e demanda do segundo trimestre de 2017 em relação ao trimestre anterior
Indicador (%)0,80,80,90,90,50,5-0,3-0,3-1,4-1,4-1,3-1,30,90,9-4,1-4,1AgropecuáriaIndústriaServiçosConsumo das famíliasConsumo do governoFormação bruta de capital fixoExportaçõesImportações-4-202-6
Fonte: Serasa Experian

Acumulado no primeiro semestre

No acumulado do primeiro semestre de 2017, a atividade agropecuária acumula taxa de 14,2% em relação ao mesmo período do ano passado. Já a indústria e o setor de serviços apresentam quedas de 0,8% e de 1,0%, respectivamente.

 Ainda em relação ao acumulado dos primeiros seis meses de 2017, praticamente todos os componentes da demanda agregada recuaram: consumo das famílias (-1,5%), consumo do governo (-2,1%) e investimentos (-5,4%). Somente as exportações e as importações cresceram: 1,5% e 3,7%, respectivamente.
Fonte: G1