Varejo vende até 63% dos itens com descontos acima do ideal

A política de descontos praticados no Brasil está resultando em um prejuízo invisível para o varejo brasileiro (especialmente os supermercados).

É que o volume de itens vendidos com descontos acima do ideal pode chegar a 63% em algumas categorias de produtos. Essa é uma das conclusões de um estudo da Kantar Worldpanel chamado PROMO – e que será um dos novos braços de pesquisas da empresa.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!

Segundo o estudo, o Brasil (é mesmo) o País com o maior volume de produtos promocionados à disposição do consumidor, segundo o levantamento.

Para chegar a essa conclusão, a empresa definiu uma cesta de produtos adquiridos em supermercados ou negócios do gênero. A partir dessa lista de compras, eles anotaram quais deles tinham descontos para os consumidores.

De acordo com o levantamento, o Brasil ocupa a primeira posição, com 40,1% do total de produtos dessa cesta, seguido da Argentina 40% e, em terceiro, o Reino Unido. “O caso do Reino Unido é interessante. Hoje, existem quatro players que integram uma fatia de 75% do setor do mercado de supermercados. A promoção representa um meio de disputa na preferência do consumidor”, afirma Manuela Bastian, Expert Solution and Retail Services Director da Kantar e reponsável pela Promo.

O desconto ideal

Para o escuto, a Kantar desenvolveu um cálculo para chegar ao chamado desconto ideal. A análise considera diversos fatores, dentre eles o valor original do produto, a média de descontos, entre outros.

Essa análise permite comparar com o percentual em prática no mercado e, consequentemente, o quanto o varejo está perdendo com vantagens excessivas concedidas ao consumidor. Hoje, a média do mercado, independentemente do tipo de produto, é de 25%. No entanto, esse valor varia por categoria.

Os alimentos tem média de 28%. No entanto, a Kantar entende que o desconto ideal poderia ser até menor: entre 10% a 30%. Isso representa um percentual de volume vendido acima do desconto ideal de 45%.

Já bebidas, a média é de desconto é de 26%, sendo que o ideal seria entre 20% a 30%. Nesse caso, o volume vendido com o desconto acima da média pode chegar a 38%.

cred: pesquisa Kantar

O perfil do desconto no Brasil

A Kantar traçou ainda perfil do desconto no País e a relação do consumidor com a velha e boa plaquinha de “Sale” colocada na loja. No total, 80% dos consumidores afirmaram que compraram algum produto com desconto nos últimos três meses.

Hoje, apenas 11% dos produtos adquiridos com descontos foram previamente anotados na famosa listinha do consumidor antes dele se dirigir ao mercado. Por outro lado, quase 90% dos produtos foram adquiridos de maneira acidental. “E isso representa uma oportunidade muito grande para os varejistas, que podem criar uma estratégia de descontos para o consumidor”, afirma Manuela.

O estudo considerou cinco tipos de desconto: desconto de preço, Promoção 2 por 1, Produto Grátis ou com Brinde, Multipacks (aqueles com vários desodorantes) e Leve Mais e Pague Menos.
O desconto de preço representa a mecânica mais comum de vantagem para o consumidor em prática no mercado, com 58% do total. Em seguida, aparece o 2 por 1.

O grande caçador de desconto no Brasil é a categoria Lares com Crianças. Trata-se de um grupo sem qualquer compromisso com marca e busca loja com a clara vantagem de desconto. Por conta disso, o seu alvo preferido é o atacarejo: Assai, Atacadão e outros.

Fonte: No Varejo

Foto: Shutterstock